BANER

AS 05 MAIS ACESSADAS

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Pais Vivos De Filhos Vivos


Não é difícil perceber que a figura paterna: o pai, pouco a pouco está se distanciando da real originalidade de sua existência. Será que este distanciamento se dá em razão dele não saber qual é o seu papel como pai na família? De que forma negligencia-se a responsabilidade paterna para com os filhos? De que maneira os filhos falariam sobre o desempenho de seus pais para com suas necessidades? Que necessidades são essas?
Existe uma falso e distorcido conceito da existência ou da função do homem como pai no seio familiar. Intitula-se o pai como genitor, provedor, protetor; mesmo que esses papeis fação parte de sua pessoa, e sejam desempenhado em totalidade não é o bastante para fazer deste homem um pai ideal. É preciso juntar estes, com o genuíno amor, demonstrado na prática, com a atenção, com o ouvir, com o abraço, com a conversar amiga, acolhedora, empática. Verbalizar sentimentos em relação aos filhos, dizer com palavras e gestos o quanto eles são especiais e amados. É falar diretivamente ao coração deles olhando em seus olhos e permitindo que eles vejam a verdade expressa em seus olhos.
Ser “pais vivos de filhos vivos”, é não ter medo de transparecer seu coração aos seus filhos, é não achar que agindo assim se mostrará, fraco, sensível. Sensibilidade não é sinônimo de fraqueza, mas de humanidade universal. Ser pai, é muitas vezes chorar, sim, é não pensar e nem dizer que “homem que é homem não chora”; mas afirmar, que chorar é a capacidade e coragem de ser homem e pai. Ser pai não é ser duro, áspero, ausente de sentimentos, mas é ser duro consigo mesmo para ser um “pai vivo de filho vivo”. Pois negar-se em ser pai é ser um pai “morto” de filhos vivos.
Muitos filhos vivos, hoje estão sendo “mortos” pela omissão do desempenho paterno de seus próprios pais, pois são homens que deixaram de ser pai para ser apenas, genitor, provedor, aquele que financia as necessidades, meus robes, minhas baladas, minhas aventuras, mas nunca dedicaram tempo de qualidade para ser amigo, companheiro de todas as horas. Nunca imaginaram que as maiores necessidades não são o material, e sim as ausências de amor, de apoio, de reafirmação do amor de pai ao filho, sentimentos que estão dentro do coração, pois são elas que adoecem a alma e podem levar a morte do eu, chegando até mesmo a morte física caso não seja tratado com seriedade, amor e muita aceitação.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...